segunda-feira, 21 de março de 2011

Música

Alguma vez experimentaste fechar os olhos e ouvir?
A sensação de estar cego por momentos...
Mas apenas até tudo começar a fluir,
Criando todo um novo mundo, só para ti.

Quase sem dares por isso, começas a sentir.
Sentir um ritmo que te embala e te soa tão natural.
Há uma força, uma alegria, que te prova existir,
Preenchendo-te a cada nota, acorde e batida.

É algo que te faz sorrir, apenas de imaginar,
Tal é o modo como ressoa bem no fundo do teu ser.
Prendendo-te, pois é impossível de evitar,
De uma forma tão primitiva que não te soa a prisão.

Torna-se tão tu, que recebe o poder de recordar.
Guardando fielmente o que sentes e desejas,
Até ao momento em que aparece para te despertar,
Lembrando-te daquilo que foi e ainda há-de ser.

N.A.: Dia Mundial da Poesia!
Para um pequeno extra, cliquem aqui e voltem a ler :P

4 comentários:

  1. está bem giro Paulo :3
    o que era de nós sem música, bem pelo menos o que seria de mim xP
    gosto + sem o extra though xD
    na penúltima linha não falta ali qualquer palavra?

    ResponderEliminar
  2. Obrigado! E obrigado, nem sei como escapou :x

    ResponderEliminar
  3. Bem, este poema foi escrito precisamente há um ano atrás. Realmente tens de escrever mais :p
    Achei curioso como fizeste esta pequena brincadeira com as palavras clicando no item "aqui", nem sabia que isto era possível :)
    O poema está muito bonito, nunca pensei que o "anónimo Paulo" tinha um talento escondido ;)
    E a musica sem duvida é algo extremamente bom, ela sabe travar monotonias. Eu ouço sempre que posso, então a conduzir não dispenso e adoro.
    Para relaxar também é muito bom ouvi-la, então o som do violino e do piano são a minha eleição.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado! Sou da mesma opinão em relação a conduzir com música (maldito rádio, porque te avarias!).

    PS: Um ano e dez dias :P mas tenho de escrever mais, sem dúvida.

    ResponderEliminar